Carta Celeste

Muitas das leis da Natureza são tão simples que a maioria das criaturas não lhes dão a menor atenção. - Henrique José de Souza

Artigo de Cor:  Amarelo e Azul Amarelo e Azul
Tópico: Poesiando - Subtópico: Rebelando-se com o silêncio

Quatro entardecendos...

Publicado em 03/01/2012 20:01 e Atualizado em: 03/01/2012 20:38

MAIS DE MIM

Um dia a gente morre, e acabou-se
tem mais nada não, só morre e foi-se
foi o que foi, acabou no ar
poeira lavada pelo vento
suspiro se espalhando no silêncio

Você riu e chorou
Você atirou pedras e se apedrejou
Você foi ferido perdoou vingou
Acabou, morreu é fim
nada além, só isso: fim.

Contaram muitas histórias
cada vez mais bonitas
e a gente acreditou, precisava
e quanto mais acreditava, mais a história aumentava
até controlarem a gente nelas
até vivermos mortos já agora, por causa delas
até que a onda incessante do viver acabasse já, nas rochas delas...

onda incessante?
quem disse que a vida existe?
se existe, o que é? saberá você?
a vida não sei se existe, a morte sim, existe,
e você sabe bem o que é
existe e fim,
a gente não, a gente só insiste.

O problema é que aí te vi
e quando vi tem uma coisa que aconteceu
bem muito maior do que eu
e nunca vi nada mais sem fim
porque mais de mim nasceu?

Talvez
porque até quando da terra-pó renascer
rejuntar ar e tudo o mais espalhado por aí
até quando de água água água sem querer o mar onda levantar
ou céu azul virar-se em nuvens
ou brilho do sol arco-irizar na gota de querer ser
talvez, até quando átomos por si se grudarem novamente
quando o pó da sala flutuar formas concretas na janela
tudo do avesso da terra, pó, água, sol, luz, talvez,
nascesse de novo a história que fez da gente amar.


MORTE

Um dia a morte leva tudo
lava a gente como rio leva terra embora
leva sem fim... leva rio... mar.

Que alma forte seria esta?
que nasceu quando nasci
mas que morre mais não

não...

morre sim
morre e vai
esvai

só não vai teu olhar
Olhar é para sempre.


HISTÓRIA DO BEM

Rivail dizia-se orientado por espíritos esclarecidos
e quis dar conta racional de tudo
Blavatsky dizia-se orientada por mestres iluminados
e quis dar conta racional de tudo, contra o materialismo
Henrique dizia-se palavra das consciências superiores
e quis dar razão à conta de tudo, fazer uma obra

mas nós estamos à beira do saber nada
talvez... nem da possibilidade de saber
só inventar, será?
inventar o que é melhor
mas mundo nenhum conhecer

A razão é apenas uma história bem contada.


FOME

Silêncio...
vácuo...
cortante faca do não te ouvir nem te ver nem ter
terçã dos minutos

tem jeito não
a fome não tem mais solução
mais toca mais aumenta
capaz um dia de eu ser a comida dela

fim...

Imprimir Enviar por E-mail


Deixe seu Comentário


140800


Comentários

Nome: Fran

Comentado em: 23/01/2012 10:28

O q seria tdo então? ..nada? Tdo história inventada pra satisfazer a incompreensão e sensação de estrada cortada no meio causada pela morte, a maior de todas as mudanças? Mas o q dizer daquilo q os olhos viram e q as palavras n podem expressar?

 

Seja livre: use Linux! E não deixe de instalar o navegador FIREFOX, um excelente meio de se ter uma nova experiência em suas "viagens web"!!!

Este site é melhor visualizado com resolução: 1024 x 768px ou superior e para perfeita exibição visual em: 1280 x 1024px. Experimente um atalho: ctrl++ para dar um zoom no site todo ou um ctrl +- para o inverso.