Carta Celeste

A melhor maneira de se comportar na vida é não se preocupar nem com o bem nem com o mal, mas com o DEVER, pois aquele, que neste permanece, não tem tempo para ambas as coisas. - Henrique José de Souza

Artigo de Cor:  Vermelho Vermelho
Tópico: Sala de Estar - Subtópico: Conversando com você

Nem é questão de compaixão...

Publicado em 19/02/2011 12:27 e Atualizado em: 03/07/2011 19:42

 

Grande parte das pessoas cometem seus erros apenas por um certo estado de inocência de nunca terem pensado no assunto.

São erros grandes, destruidores, avassaladores, cruéis, sanguinários, mas mesmo assim, fruto de sinceramente não terem ainda pensado no assunto.

Outras pessoas apenas pensaram, mas, sinceramente, não levaram o assunto à sério,  ainda.

Algumas que levaram à sério pensar no assunto, chegaram sinceramente à conclusão que as coisas sempre foram assim mesmo e não tem jeito de mudar: é normal que sejam assim. E aí continuam cometendo seus grandes erros, porque os acham sinceramente inevitáveis.

Todos os que descobriram que estavam cometendo grandes erros nas suas mais banais atitudes cotidianas, como ligar o carro por exemplo, e que com elas destruíam tudo o que existe ao redor, florestas, mares, água e até o ar que respiram, que matavam centenas de vidas inocentes (nos EUA são 10 bilhões por ano) simplesmente indo ao supermercado comprar o que comer, e ainda gerando imensa fome e miséria pelo mundo pelo fato corriqueiro de se submeterem a morar em cidades e viver do dinheiro do mercado, todas estas pessoas passaram por algumas daquelas fases cor-de-rosa da sincera inocência.

Por isso nem é compaixão deixar de apontar o dedo para os outros, condenar pessoas iguais a nós, apenas um pouco mais inocentes. Deixar de apontar o dedo e condenar outros mais inocentes que nós é apenas ser sincero com sua própria história recente e com o caminho que sempre há pela frente, repleto dessa sincera inocência para ser ainda descoberta, aceita e vencida.

 

Apenas acenda a luz, mantenha-se caminhando e aponte o dedo só para seu próprio caminho, sinceramente.

 

Imprimir Enviar por E-mail


Deixe seu Comentário


177622


Comentários

Nome: Peres

Comentado em: 25/02/2011 11:10

Lendo textos assim, tão "inocentes" que vejo o quanto ainda me falta "caminhar"... Desculpe minha falta de luz, mas infelizmente ainda não vejo com estes olhos, eu acredito que sempre nós (humanidade) tivemos uma escolha, e por muito tomamos o caminho mais pratico, mais curto, mais "inocente"... Ainda não consigo ver todas as mazelas, todo desequilibrio, como fruto de uma ação inocente... Durante a guerra fria por exemplo, colocaram o capitalismo como "Deus", a propria manifestação divina, capaz de "livrar" a humanidade de sua propria desumanidade... não é questão de apenas uma visão de politica economica, mas uma questão de ver pessoas e não numeros... muitos criticam o socialismo, o comunismo, como se fosse o proprio Stalin, venderam o capilismo como um sistema e os outros (sistemas) como pessoas... o anarquismo ainda é visto como um demonio, que espera o momento adequado de POSSUIR pessoas, mas nunca o Estado... Somos refens de nossa cultura usurpadora, somos nossos algozes... Ainda hoje vemos dezenas de exemplos que, mesmo embrionarios, conseguem SOBREVIVER a margem do sistema, ainda que dele necessite... Nossa inocencia foi perdida... e em nome dessa inocencia sempre a desculpa de querer ter uma vida digna, mesmo que seja a custa da dignidade alheia, sempre buscamos o melhor pra nossa familia, mesmo significando o exterminio de outras... Nossa inocencia mata mais que drogas, que acidentes de automoveis, que desastres naturais, que doenças, enfim, todas essas mortes estão intimamente ligadas ao nosso estilo de vida... A questão é: Quantos morreram pela minha inocencia de hoje? Quantos passam fome para que eu ande de carro? Quantos tem sede para que eu tenha condições "dignas" de trabalho? Quantos morrem literalmente escravizados para que a Bolsa continue subindo? PS. se por acaso você ficar com a consciencia pesada, deixe disso, afinal é culpa do modo de vida que escolhemos, não SUA. E conforte-se porque sempre teremos essa desculpa.

 

Nome: Felipe de Souza

Comentado em: 25/09/2011 18:24

Existem dois pontos que gostaria de comentar. A ausência de pensamento (sério) estando vinculada ao mal O apontar o dedo Hanna Arendt, estudiosa do nazismo, pensava que a maldade era ausência de pensamento. Se houvesse pensamento, não haveria o erro, ou o mal... Seguindo, me parece, Kant com o seu imperativo categórico. Apontar o dedo... a questão não é só a de julgar o próximo - mas, como nos disse o Professor Henrique - saber criticar. Não criticar por criticar, mas saber criticar. Como você fez neste texto. Gostaria aproveitar e divulgar meu site, se for possível: www.psicologiamsn.com

Reposta

Grato, Felipe, por divulgar seu site aqui, que certamente será útil para nossos visitantes também. O imperativo categórico de Kant nos aconselha a só fazermos o que achamos que todos devam fazer. É algo como: "se eu não acho que todos devam fazer ou ser assim, eu também não vou agir ou ser assim". Quanto à questão da crítica, no que tocamos no assunto colocado no primeiro comentário, pelo Peres, certamente ela é a forma de pensarmos coletivamente, todos em rede, construindo visões de mundo mais adequadas para o viver inteiro e feliz que, acredito, virá. Nós, enquanto espécie humana, estamos construindo nosso pensamento desde sempre. Há um pensar coletivo, de raça, da espécie humana, como disse. O que não cabe, conforme penso, é fazer a crítica descer ao apontar de dedos, que faz quem julga os outros, por terem hábitos simples e normais, conforme considerados hoje em dia, mas que serão tidos como crimes no futuro. Eu acredito, por exemplo, que o uso massivo de carros e o hábito de comermos animais, hoje coisas corriqueiras e normais, no futuro serão considerados crimes. Os carros (que eu também uso!), contra as gerações futuras; os animais (que eu não como mais), contra a vida de espécies mais inocentes que a nossa. Mas não vou usar um destes hábitos, logo depois de eu ter conseguido conquistar uma verdadeira libertação de algo que não considerava mais certo, como justificativa para apontar o dedo para alguém que ainda use o carro até para comprar pão na esquina ou que continue comendo a carne dos animais, porque eu mesmo fiz isso até relativamente pouco tempo e tive que primeiro descobrir que aqueles hábitos normais eram um erro terrível, para tempos depois (certamente com muito esforço) conseguir me livrar deles. Acredito que o poder seja algo que todos possuímos mas que abdicamos todas as vezes que deixamos que os outros façam nossas escolhas. Como foi dito aí em cima, conseguir exercer a escolha é exatamente tomar este poder nas mãos novamente e isso também é um dever para conosco mesmos, para com todos os outros que nos cercam e para os que ainda nascerão nesta Terra, que é deles também.

 

Nome: NAMI

Comentado em: 06/04/2011 22:30

FELIZ DO HOMEM QUE PODE APONTAR O DEDO SO PARA O SEU CAMINHO .

 

Nome: JÚLIO CÉSAR PERES

Comentado em: 31/05/2011 7:19

Há, por BEM, Leis Naturais que nunca devem ser deixadas de lado e somente transpostas por Leis Maiores, respeitando-se a Hierarquia entre Elas. Tais Leis não permitem Injustiças e, tão somente fazem que o UNIVERSO (UM + inverso) se mantenha em Perfeito Equilíbrio para que cada ser faça que seja despertado seu Deus Interno e que a somatória dessas Centelhas Divinas representem AQUELE que nem seu Nome ouso aqui proferir. Vista, então que fomos feitos à Imagem e Semelhança do CRIADOR, temos igual responsabilidade de Criar . . . mas, em nosso Sacro Ignorar e "Desenvolver" Espiritual, provocamos desequilíbrios dessa ENERGIA UNIVERSAL, Perfeita e Infinita e, por essas mesmas Leis (KARMA, neste caso) apenas temos que reequilibrá-las, tornando-As Perfeitas e em Harmonia com o Ciclo atual. Daí que, em virtude disso, muitos de Nós, caídos, Espiritualmente falando, num passado BEM recente, temos que restaurar essa Perfeição - foi-Nos ofertados, pelo menos, 2 Caminhos, a saber, o do AMOR e o da DOR - escolheram o mais difícil. Cabe, agora, que tenhamos Estabildiade Emocional, Temperança e Dicernimento para produzir um Trabalho pensando tão somente na CRIANÇA, no ADOLESCENTE e no JOVEM para que venham a Realizar a OBRA DO ETERNO NA FACE DA TERRA !!! Para isso, faz-se necessário que criemos Empregos, Salários Dignos, Alimentação, Saúde, Segurança, Moradia e EDUCAÇÃO e, visando O BOM, O BEM e O BELO !!! Aos Pais desses seres a quem dedicamos nossa OBRA, que outrora, como Nós, cometeram faltas que Lhes são ora cobradas, dever nosso é propiciar condições para que TUDO se realize de forma Pacífica, Amorosa e Terna e nossas Crianças, Adolescentes e Jovens possam transpor momento tão crítico como este que passamos e que está por velar o Novo Ciclo. Por isso, Caro(a) Irmão(ã), não se desespere se sua Vida Lhe propicia BONS momentos ... saborei-os com Ardor e Mesura para que possas produzir tais POLÍTICAS e esses Irmãos Menos Privilegiados sejam atendidos em tempo hábil e venham compor, junto a Nós as Fileiras de Tão Sacro Dever. UM por TODOS e TODOS por UM !!!

 

Seja livre: use Linux! E não deixe de instalar o navegador FIREFOX, um excelente meio de se ter uma nova experiência em suas "viagens web"!!!

Este site é melhor visualizado com resolução: 1024 x 768px ou superior e para perfeita exibição visual em: 1280 x 1024px. Experimente um atalho: ctrl++ para dar um zoom no site todo ou um ctrl +- para o inverso.